terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Paisagem Natural e Humanizada




Paisagem Natural e Paisagem Humanizada

A Paisagem apresenta várias escalas e varia dependendo do local onde nos encontramos, bem como quando estamos, pois ela é uma sobreposição de momentos diferentes em vários estágios da história. A Geografia é a ciência que explica a paisagem terrestre. A paisagem natural é aquela que ainda não foi modificada pelo ser humano, ela encontra-se praticamente inexistente atualmente e a humanizada é aquela que sofreu modificações humanas. O termo paisagem neste contexto envolve um conceito geográfico discutido e consagrado segundo a ótica da moderna Geografia crítica brasileira, representado no seu mais ilustre geógrafo: Tudo aquilo que nós vemos,o que nossa visão alcança,é a paisagem. (Milton Santos, 1988) Porém, a percepção da diferença entre os dois tipos de Paisagem têm tornado-se cada vez mais difícil por causa da mixagem do meio natural e artificial. A paisagem, então, deve ser pensada em paralelo com as condições político-sociais e culturais do espaço onde ela encontra-se inserida, procurando sempre perceber o invisível. Num primeiro momento é interessante pensar que apreendemos a paisagem de forma escalar concomitantemente ao nosso crescimento. Num primeiro momento percebemos a paisagem do nosso entorno mais imediato. Depois vem visão das casas, ruas, praças e assumindo assim proporções maiores.
Pensando no processo ensino aprendizagem é preciso pensar como a paisagem, coisa externa a nós, passa a fazer parte da nossa vida, seja urbana ou não, como criamos referencias na paisagem para nos localizarmos no nosso cotidiano, é concebível propor aos estudantes conteúdos atitudinais e refletir como a paisagem, que faz parte da nossa vivência emocional, pode também ser fundamental para o nosso deslocamento. Tal percepção é algo que se aprende e pode ser explorado e exercitado. Mas também é interessante pensar que nos dias de hoje há diversas formas de apreensão visual da paisagem. A primeira forma de apreensão é a frontal, que é como as crianças se relacionam e apreendem suas paisagens mais imediatas. São os componentes de seus desenhos a visão predominantemente frontal dos elementos da paisagem. E esta apreensão frontal, na maior parte das vezes, é feita quando a criança está a pé. Ela utiliza, portanto, métricas pedestres para localizar o que está mais perto e o que está mais longe. Agora, nas grandes cidades, provavelmente haverá uma paisagem que a criança apreenderá de forma cinemática. É a paisagem vista da janela do carro, do ônibus, do trem, em seus deslocamentos cotidianos.
O estudo da paisagem possibilita fornece subsídios para que o individuo se situe em seu lugar de vivência, por meio da apreensão da paisagem que ela pode observar. Aprender a se relacionar socialmente com outras pessoas de diferentes faixas etárias, ampliando a noção de espaço. Buscar a organização de sua experiência e expectativa para com o território em que vive. Consideramos que a leitura do mundo é fundamental para que todos nós, que vivemos em sociedade, possamos exercitar nossa cidadania, como aborda Paulo Freire: A leitura de mundo precede a leitura da palavra. A leitura da palavra só ganha significado e significância se ela vier intrinsecamente apreendida com a leitura de mundo do educando e socializada com o coletivo da turma, para que vivenciada as diferenças, aconteçam as internalização e acomodação da aprendizagem propriamente dita.
A natureza onde a ação dos indivíduos se faz notar nas formas de apropriação do espaço, como a produção da cidade e campo, a construção de vias, os movimentos de população, a produção de resíduos sólidos, os deslocamentos das pessoas para o lazer etc. A geografia, por meio de suas atividades de leitura de textos que tratam de suas temáticas, pode auxiliar no letramento, favorecendo a ampliação do conhecimento do aluno. O estudo desta disciplina proporciona as crianças em seu nível de conhecimento sobre o lugar em que vivem, podendo fazer relações com outros lugares, pois elas convivem com ambientes (familiar e escolar), questionam e apresentam suas próprias concepções sobre a natureza e a sociedade.  A paisagem é mutável, isto é, ela se transforma ao longo do tempo, em função das diversas formas de produção do espaço pelas atividades humanas como na referência: “Ela é uma combinação de objetos criados em momentos históricos distintos, porém coexistindo no momento atual.” (Milton Santos, 1997)




Referência Bibliográfica
BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: História e Geografia. 1ª a 4ª série. vol5.MEC:Brasília DF,2001,166p
SANTOS, Milton. Por uma globalização: do pensamento único á consciência universal. Record:Rio de Janeiro RJ,174 p.
SUERTEGARAY, Dirce Maria Antunes. Espaço geográfico uno e múltiplo. Disponível em: <www. ub.edu. br. Acesso em: 13.out.2011.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário